Próximo Anterior

DOCES OU TRAVELSSURAS?

Fabricio Greca Brun Fabricio Greca Brun 31 outubro, 2016

Bruxas, gatos pretos, fantasmas, caveiras e impostos podem te assustar o ano todo, entretanto, sabemos que existe uma certa época que as pessoas deixam a superstição de lado e aproveitam para curtir as festas temáticas e vestir aquela fantasia que, muito provavelmente, seu pai não gostaria de ver você usando, e encher a cara até acabar a noite com o Drácula.

Apesar de muita gente achar que o Halloween foi inventando nos Estados Unidos só porque o nome vem do inglês, pasme, existem mais países adeptos dessa língua, inclusive o criador desse feriado, a Irlanda. E se você acha que o Dia das Bruxas é o único festival que reúne fãs de fantasia, ocultismo e dopamina em excesso, é porque nunca leu meus outros posts nesse blog. Algumas das festas de Halloween mais legais e alternativas do mundo não precisam envolver abóboras cortadas, mas sim cultura, costumes e tradição.

Día de Muertos, Oaxaca, México (1-2 de Novembro)

Se você já assistiu ao último filme da franquia James Bond ou tem algum amigo com uma caveira mexicana tatuada no corpo, sabe que os mexicanos comemoram o dia dos finados de uma maneira única e folclórica.

Esse feriado é um dos mais importantes no México e remete às tradições astecas, onde se acreditava que os mortos ficavam numa espécie de sala de espera espiritual, e nessa época do ano eles retornavam para suas famílias. Para receber o fantasma as famílias preparam um altar cheio de oferendas e também um arco de flores – um simbólico portal para o submundo, enquanto duas coisas são servidas para a chegada deles: água e pão. Afinal, quem não ficaria com sede e fome depois de uma jornada dessas?

La Diablada, Puno, Peru (Primeira semana de Novembro)

Não, o Peru não se resume só a Machu Picchu e ceviche. Durante a época do Halloween, na cidade de Puno, homens se vestem de demônios e saem pelas ruas num desfile durante a primeira semana de novembro. Ninguém sabe ao certo o porque eles fazem isso, uma versão é de que esse desfile chifrudo seria uma lembrança da partida dos diabólicos conquistadores no século 19; outra é de que os peruanos estariam prestando seus respeitos aos antigos espíritos do Lago Titicaca; e uma versão mais moderna, diz que serve para espantar a sogra.

De qualquer jeito, La Diablada cresceu numa fusão entre cristianismo e cultura indígena, o que caracteriza muitos dos eventos festivos na América Latina. E não há nada de profano no local de encarnação do Senhor das Trevas, que faz a procissão acompanhado de dançarinos que mais parecem peruanos possuídos. 

Festa del Cornuto, Rocca Canterano, Itália (Novembro)

Com toda aquela paixão exacerbada que corre nas veias dos italianos, seria estranho se não existissem alguns perdedores no jogo do amor. Para a sorte dos “chifrudos” que não gostaram de ter conhecido Ricardão, existe um consolo maior do que suas mães dizendo à eles que nunca gostaram da sua cônjuge meio saidinha. 

No evento, as pessoas não vão “chorar suas pitangas”, pelo contrário, atores saem em carros alegóricos descendo as ruas principais recitando sátiras hilárias que envolvem todo essa confusão de ser pego em flagrante e traições. O festival conta também com uma padroeira não oficial, uma honra da qual muitas celebridades trocariam um Oscar para conseguir ser. Talvez a (possível) próxima presidente dos Estados Unidos, Hillary Clinton, seja uma forte candidata a segurar esse título.

Pirates Week, Porto de George Town, Ilhas Cayman (Novembro)

Imagine duas réplicas de navios do século 17, diversos outros barcos e até um submarino realizando um ataque surpresa ao Porto de George Town – se o Johnny Depp estivesse lá, daria para lançar mais um Piratas do Caribe. Entretanto, o Pirates Week conta com um clima muito mais descontraído cheio de festas, músicas, trajes, jogos e um caos controlado. O evento de dez dias, varia de ano para ano, deixando somente a ideia geral – os Jacks Sparrow combatem a força de defesa do porto e capturam o Governador para depois o jogarem numa prisão! (De se pensar, no mínimo).

Na verdade, a maior parte da diversão é mais segura que um saque à cidade, algumas empresas patrocinam corridas pelas ruas e competições de nado, seguidos de um happy hour no Hard Rock Café. Que Halloween diferente não?

Bonfire Night, High St, Lewes, Sussex, Inglaterra (5 de Novembro)

Era uma vez, no começo do século 17, um grupo de ingleses protestantes que estavam torcendo para que seu próximo monarca relaxasse um pouco a “mão-de-ferro” e não os perseguisse mais. Entretanto, um grupo de católicos ficou muito desapontado quando essa situação falhou em se materializar. Então, naturalmente, eles pensaram na única coisa que podia ser feita – explodir as casas do Parlamento com o Rei, seus filhos e toda a gangue dentro. Com o plano todo armado, no dia 5 de Novembro de 1605, Guy Fawkes estava prestes a, literalmente, jogar tudo pro ar quando foi pego em flagrante, o que não foi muito legal pra ele, já que depois disso, foi torturado, enforcado e esquartejado.

Na “Noite de Guy Fawkes”, como ficou conhecido, efígies (procure no dicionário) são queimadas em piras para celebrar a incrível escapada dos prédios do Governo de um fim incendiário. Antes da grande noite, crianças constroem seus espantalhos com materiais inflamáveis dentro e saem pelas ruas. E o evento não conta só com “manequins do Guy”, há também primeiro-ministros, presidentes, celebridades e até terroristas! Um verdadeiro jardim de infância para os piromaníacos.

Agora que você conhece um pouco mais sobre esse feriado que há anos gera lucro as lojas de fantasias, espero que nas próximas viagens você consiga se inspirar – tanto com caveiras, demônios, cornos, piratas ou até mesmo um Putin gigante de sunga.

Fabricio Greca Brun

Fabricio Greca Brun

Com apenas 23 anos, Fabrício já rodou mais de 30 países em 1 ano que passou na Europa. Amante de viagens e cinéfilo de carteirinha já cursou desde Engenharia Civil até cinema. Após morar esse tempo fora escreveu dois diários de viagens que incluem histórias, desenhos e mensagens de pessoas que o cruzaram em sua jornada. Quando pode, gosta de dar dicas a seus amigos, e quem mais quiser, sobre viagens, música e filmes.

Mais publicações de Fabricio Greca Brun

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *