Próximo Anterior

ARRIVEDERCI FIRENZE

Barbara Zem Barbara Zem 9 março, 2017
O QUE FAZER EM FLORENÇA

Em outubro de 2015, já no final do meu intercâmbio em Dublin, eu e mais uma amiga decidimos fazer um mochilão por alguns países da Europa. Sem saber direito para onde ir e quantos dias íamos ficar viajando, colocamos todos os locais imagináveis no papel, já considerando que esse processo seria difícil, pois são inúmeras as opções que surgem na mente nessa hora.

Conversamos bastante e terminamos a primeira lista com 29 cidades em 11 países. Mas depois de estudar o calendário e fazer as contas (calma, sou de humanas), percebemos que só teríamos 25 dias para fazer essa trip, então fechamos 13 cidades em 10 países – das quais 3 eram na bella Italia,  terra dos meus tataravós. Roma, Florença e Veneza – logicamente uma dessas cidades ia ganhar meu coração. A única, por enquanto, a me fazer pensar em sair de Curitiba e me mudar foi Florença – para os italianos, apenas Firenze. Vou contar como a minha experiência por lá!

No roteiro planejado, teríamos que pegar um ônibus de madrugada de Roma para Florença (Megabus – geralmente você consegue tickets por valor muito baixo, gastei 5 euros) – para não perder tempo e aproveitar mais a cidade, já que só ficaríamos um dia lá.

Chegando lá, paramos na estação de trem e a cidade parecia deserta. Não tinha internet e nem mapa, o ônibus atrasou e não consegui fazer contato com o couchsurfing. Já estávamos na metade da viagem, acostumadas a se perder e a se virar, mas Florença estava nos recebendo de braços abertos.

Começamos a seguir as placas que indicavam o centro e fomos andando meio sem rumo, quando chegamos na praça próxima à estação, um vento gelado bateu e quando olhei para o chão, tinha um mapa da cidade aberto, bem ali aos nossos pés (presentinho diretamente do deuses). Como não amar esse lugar?

Confiantes, fomos andando e lendo aquele mapa. Olhávamos para tudo e cada canto era simplesmente perfeito. A beleza estava nos mínimos detalhes, desde ruelas, prédios antigos, até o frio, tudo parecia se encaixar perfeitamente. Depois de uns 10 minutos chegamos na rua do nosso couchsurfing e lá na frente em uma janela duas pessoas começaram a falar alto meu nome e fomos recebidas pelo Matteo e seus 5 colegas de trabalho. Matteo é bartender e trabalha em um restaurante na esquina da sua casa, ele e seus amigos tinham acabado de sair do trabalho e foram nos esperar.

Apesar do cansaço, foi incrível conhecer 6 florentinos, suas histórias, um pouco sobre o trabalhos deles e pegar várias dicas sobre onde ir e o que comer. Na manhã seguinte, levantamos e nosso host Matteo nos levou até a praça central e mostrou no mapa onde ficava cada lugar que a gente queria conhecer.

O QUE FAZER EM FLORENÇA

Fizemos tudo andando, pois a cidade é pequena, tudo fica meio próximo e eu acho muito melhor se perder andando, do que pegar algum meio de transporte local para chegar nos lugares mais rapidamente.

Passamos por lugares como Vecchio Bridge, Florence Cathedral, Vecchio Palace, Piazza del Michelangelo e Republic Square.

Onde quer que a gente parasse, encontrávamos pessoas interessantes, lojas diferentes e ruelas estreitas com diversas janelas coloridas. Saímos cedo do apartamento e chegamos só de noite, conhecemos lugares lindos e apesar do pouco tempo, nos apaixonamos pela cidade e pela culinária incrível. Provamos delícias típicas, como sanduíche de pastrami, gelato e crepe italiano.

À noite, fomos no restaurante no Locale Firenze, onde nosso host Matteo trabalha, e pedimos alguns drinks da casa. Ele é conhecido por fazer os melhores drinks de Florença, então lógico que a experiência foi incrível!

UMA CIDADE APAIXONANTE

Florença se tornou uma paixão para a vida toda e a compreensão do porque muitos amam tão profundamente a Itália e suas belezas. Os italianos são pessoas incríveis, sinceras, o sotaque e o jeito que eles falam é encantador, impossível não amar. Cada minuto foi precioso e tenho certeza  de que vou retornar à Florença um dia! Arrivederci, Firenze!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *