Próximo Anterior

5 REGIÕES PARA CURTIR (MUITO) LOS ANGELES

Vicente Frare Vicente Frare 18 outubro, 2016
5-lugares-para-curtir-los-angeles-1x

Se tem uma cidade dos Estados Unidos que está passando por mudanças rápidas e transformadoras é Los Angeles. A maior cidade da costa oeste vem recebendo “refugiados” de Nova York, São Francisco e do mundo em busca de aluguéis mais em conta, melhores oportunidades de trabalho e um clima mais do que ideal. Em sua vastidão, ligada por serpenteantes Freeways e largas avenidas retilíneas, Los Angeles mistura, agrega e transforma enviando para o mundo toda a sua energia criativa através de cinema, música, seriados e artes plásticas.

Sempre fui um fã inveterado de Nova York, relegando Los Angeles ao dia em que tivesse que ir para algum outro lugar “ali por perto”. Até que este dia chegou e, passada uma semana circulando pelo Sunset Boulevard, entrando e saindo da I-405 e vendo o dourado pôr do sol californiano dos mais diversos pontos da cidade, troquei de paixão. Poderia fazer um guia interminável de dicas dos lugares em que estive nesta semana, mas vou resumir aqui em 5 pontos ou regiões para circular e descobrir a LA que me conquistou.

1. DOWNTOWN

A região de Los Angeles que mais se modificou nos últimos 5 anos é Downtown. Há uma mistura de arquitetura modernista, clássica, art-déco e contemporânea de tirar o fôlego. DTLA, como é conhecida, abriga a ilha de arranha-céus visível de quase todos os pontos da cidade e dois edifícios icônicos, o Walt Disney Concert Hall (foto acima), sede da La Phil, e o Broad Museum (fala-se brôud e não bród) – reserve sua entrada gratuita com antecedência pois como é novo e grátis, as filas são longas para quem chega “de alegre”).

Nota-se que os incorporadores imobiliários resolveram pegar pesado pois há uma oferta enorme de “luxury condos” surgindo por todos os lados. Em meio a mendigos e ao comércio latino, começam a pipocar nomes como A.P.C, Acne, Aesop, Ace Hotel, The Standard Hotel, Urban Outfitters e Mykita.

Três rooftops superbadalados são o do Ace Hotel, o do The Stantard e o mais fino Perch, na Pershing Square.

Quem gosta de quebrar recordes pode tomar um drink no Skylounge do 71 Above, o bar mais alto da costa oeste americana. É meio fru-fru, mas vale pela vista se for na hora do pôr do sol. Mas vá para beber um drink e voltar para o térreo (ou aos rooftops), que é onde DTLA bomba.

O restaurante italiano Terroni é ótimo, bem como o mexicano Broken Spanish.

Downtown, Restautante Terroni

Restautante Terroni

Meu lugar favorito por ali é a livraria The Last Bookshop, que mistura livros usados e novos, pequenos ateliês de artistas locais, instalações de arte e um clima muito bacana.

The Last Bookshop

The Last Bookshop

2. ARTS DISTRICT

Espremido em Downtown, entre a Alameda Avenue e o Rio Los Angeles, o Arts District era, até pouco tempo atrás, uma “no-go-zone” que hoje abriga ateliês, restaurantes, lojas e galerias de arte em meio a velhos galpões e depósitos de ferragens. Se nota que ainda falta algo para que o lugar se firme um pouco melhor na rota turística, pois o ar industrial ainda predomina e o trânsito de caminhões é intenso. Mas quem gosta do cutting-edge, sorry, este é o lugar que, à noite, é mais animado do que durante o dia.

Comece com a galeria de arte Hauser & Wirth, que tem uma das livrarias/revistarias de arte mais completas da cidade e um restaurante delicioso recém-inaugurado, chamado Manuela. A Arts District Brewing e a Angel City Brewery fervem no happy-hour.

Arts District Brewing

Arts District Brewing

Para um hot-dog diferente, vá ao WURSTKÜCHE que tem salsichas exóticas e boa música noite adentro. Café e chocolate? O Arts District tem uma novíssima Mast Brothers Chocolate e o Stumptown Coffee.

Mast Brothers

Mast Brothers

Compras? Poketo, Alchemy Works e Apolis estão uma ao lado da outra. Mas para mim, o auge do bairro é o restaurante Bestia, que arrasa. É um daqueles lugares sempre lotados e concorridos, com comida, drinks, sobremesas, música e atmosfera perfeitos.

3. ABBOT KINNEY BOULEVARD

A porta de entrada de Venice Beach é um delírio gastro-consumista, que não tem nada a ver com o clima hippie da beira da praia. Enfileiradas uma ao lado da outra, lojas lindas e restaurantes deliciosos competem por sua atenção, bem como graffiti e urban art. Vá por um lado e volte pelo outro para curtir tudo.

Urban Art

Urban Art

Para comer, minhas duas dicas são o Gjelina e o Butcher’s Daughter. Para algo mais rápido tem o Lemonade. O supermercado orgânico Erewhon é de chorar de tanta coisa boa, comidinhas prontas inclusive. Café? Intelligentsia. Sorvete? Salt & Straw.

Compras? Surte! Tem muitas lojas incríveis. Os óculos da Warby Parker, as meias coloridas da Happy Socks, as sapatilhas (e óculos) da TOM’S (que também tem um café), o design escandinavo da Huset, Steven Alan, Heist… socorro!

Happy Socks

Happy Socks

4. MIOLO CENTRAL

Very old school, esse miolo de LA é bastante upscale, sem a afetação de Beverly Hills, Rodeo Drive e Bel Air. As casas na região do Hancock Park, em meio às ruas calmas, ladeadas de palmeiras e jardins, são enormes e dá aquela vontade de ficar morando logo ali. Passe de carro e faça um zigue-zague pela zona, que vai do Melrose Boulevard, no norte, até a W 3rd Avenue no sul.

Uma das ruas principais é a Larchmont Boulevard, que por ali forma um “clusterde lojas e cafés chamado Larchmont Village, com Diptyque, Go Get em Tiger, Noah’s Bagels e Goorin Bros. Hats.

Lacma

Lacma

Dali você estará bem perto do imperdível museu Lacma, da galeria de arte SPRÜTH MAGERS e do belo Petersen Automotive Museum, todos quase na mesma altura do Wilshire Boulevard, na Miracle Mile, a uns 10 minutos de carro.

5. SILVER LAKE

Talvez a maior razão por minha nova paixão angelena foi ter me hospedado em Silver Lake, o bairro mais descolado da cidade e cenário de várias novas séries de TV. Durante 8 dias tive uma de morador vida local. Acordava cedo, tomava um latte com um extra shot no Dinossaur Coffee ou no Caffe Vita a caminho do Crossfit Mindset.

O melhor e mais concorrido brunch dali é no SQIRL, com longas e animadas filas, mas que vale cada minuto de espera. Os sanduíches da Cheese Store of Silver Lake, em Sunset Junction, são de dar água na boca, bem como tudo no cardápio francês do Cafe Stella, logo ao lado. Para quem já foi ao SQIRL e quer experimentar outro brunch, minha dica é o Sawyer.

A Skylight Books é outro endereço favorito para passar algum tempo entre as prateleiras, com mil e um comentários escritos como recomendações em cada livro exposto. Tem uma lojinha só de coisas produzidas no condado de Los Angeles, a Los Angeles County Store.

De todo o bairro dá para ver o Griffith Observatory, outro lugar cinematográfico para ver o pôr do sol. No caminho até ele fica o incrível Greek Theatre, com um lineup bem eclético de shows o ano todo.

Escadaria de Silver Lake

Escadaria de Silver Lake

Vai ser difícil não se apaixonar po LA. Boas viagens!!

Vicente Frare

Vicente Frare

Vicente queria ser turista profissional desde criança. Para isso foi aprender idiomas, fez amigos ao redor do mundo através de cartas, os "pen-friends", e, assim que pode, mudou-se para a Suíça para estudar Hotelaria e Turismo. Passou 13 anos vivendo na Europa, Estados Unidos e Oriente Médio onde trabalhou em hotéis, restaurantes, agências de viagem e companhias aéreas. Fala 6 idiomas e se vira em outros cinco. Tem uma mala sempre pronta e nunca diz não para uma viagem, seja para onde for. Já passou por mais de 80 países. De volta ao Brasil, publicou diversos guias de viagem pela sua editora Pulp e agora se dedica ao site TravelVince, com dicas de viagem de grandes cidades ao redor do planeta. Gosta de carimbos no passaporte, de CrossFit e de ver o dia amanhecer.

Mais publicações de Vicente Frare

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *