Próximo Anterior

ROTEIRO PELA CAPADÓCIA – UMA EXPERIÊNCIA ENCANTADORA

Renata Schaitza Renata Schaitza 12 setembro, 2016
O que fazer na Capadócia

Além da paisagem e da beleza do lugar, chegar na Capadócia foi um alívio! Vou voltar um dia na história para explicar a parte em que pegamos um voo de Istambul para uma cidade chamada Kayseri, no interior da Turquia, onde pegaríamos um transfer do aeroporto direto para Göreme (nosso destino final). Esse era o plano perfeito, mas na verdade o que aconteceu foi um pouquinho diferente. Chegamos nessa cidade com 4 horas de atraso, já era noite e no guichê de informação disseram que não existia transporte direto para a Capadócia, então nós teríamos que ir até a rodoviária para comprar uma passagem (isso é o que eu ACHO que eles falaram, não entendi direito, só entrei na van e fui). Chegando na rodoviária, eu era a única mulher sem burca, NINGUÉM falava inglês e a nossa “passagem” era um pedaço de papel escrito a mão, EM TURCO.

Ok, depois de horas de sufoco e incertezas, ônibus errado e motorista largando a gente em um posto no meio de uma estrada sem luz, conseguimos chamar um táxi e chegar em Göreme! Queríamos pegar o taxista no colo de tanta felicidade!

goreme

Göreme é apenas um dos povoados na regiões da Capadócia, a parte mais conhecida e turística. O lugar é maravilhoso, mágico, fiquei chocada quando acordei no dia seguinte e olhei a paisagem pela janela do quarto.

O QUE FAZER NA CAPADÓCIA

Vista Panorâmica de Göreme: esse mirante consegue mostrar um pouquinho do quão maravilhosa é a natureza dessa região. Lá em cima também tem uma vendinha com lenços, agendas, balões e várias lembrancinhas para  os turistas comprarem. Como eu era turista, comprei!

Open Air Museum: o Museu ao Ar Livre de Göreme faz parte da lista de Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1984 e está entre os dois primeiros sítios da Turquia a fazer parte desta lista. Fica bem perto do centrinho, 1,5 km no máximo, e o caminho por si só já é incrível! Nesse museu você tem acesso a antigos esconderijos e casas do início do cristianismo, quando cristãos eram perseguidos.

Voar de balão: é uma das atrações mais conhecidas da região e, apesar de ser super turística, eu não deixaria de fazer por nada no mundo! É incrível, a imagem dos vales vistos de cima é inexplicável. Um silêncio, uma paz e uma paisagem indescritível.

Almoço em vilarejo local: saindo um pouco da rota turística, fomos conhecer um vilarejo e aproveitamos para experimentar uma refeição típica da região na casa de moradores locais. Fomos recebidos com um banquete delicioso! Não esqueçam de reservar com antecedência, pois todos os ingredientes frescos são comprados e preparados na hora para o número certo de pessoas. Quem cuidou dessa programação e de todo o nosso roteiro foi uma empresa local. Para essas programações não convencionais e fora da rota turística, acho válido contratar alguém  confiável que possa potencializar a viagem e tornar a experiência ainda mais perfeita.

Vale dos monges e das fadas: vale a pena pegar um passeio guiado e aprender um pouco mais sobre a geografia e sobre a história do lugar. A beleza é incrível e leva você de volta ao passado.

Cidades subterrâneas: mais de 35 cidades já foram encontradas na região, e Kaymakli é a mais ampla delas. Foi descoberta em 1964 e em seguida, parcialmente, aberta ao público. Atualmente, apenas quatro andares são acessíveis, descendo a uma profundidade de 20 metros. Abaixo, parece ainda haver outros quatro níveis. Eram usadas como esconderijo e também tinham espaço para armazenar animais, água, comida e vinho. PS: os Flinststones foram criados inspirados nas cidades de pedra da Capadócia. 

Fábrica de cerâmica: é muito bom conhecer o comércio local e valorizar o trabalho dessas pessoas. Fomos visitar essa fábrica e ficamos chocados com os detalhes e com a perfeição do trabalho manual. Alguns pratos demoram meses para serem feitos! Dica: quando você encontrar um prato de cerâmica sendo vendido por 20 TRL, saiba que é da China e não da Turquia, e que talvez ele quebre na sua mala.

Cooperativa de tapetes: essa cooperativa serve para dar oportunidade para os moradores locais, assim o governo ajuda e os moradores não precisam migrar para outros lugares. As mulheres podem trabalhar lá ou ficar em casa fazendo tapete com o próprio tear (que é fornecido pelo governo também). Alguns tapetes precisam de no mínimo 15 anos de experiência para serem feitos, não é para qualquer um!

Fazer um lanche no Coffedocia: não deixe de pedir sorvete caseiro feito de leite com orquídeas selvagens, é super saboroso e cremoso!

Aproveitar comidas típicas: apple tea, queijos, iogurte caseiro, mel, frutas (melão mais doce EVER), pepino, tomate e azeitonas são só alguns exemplos de comidas turcas deliciosas!

ONDE SE HOSPEDAR

Nós conhecemos 3 hotéis durante a nossa estadia e ficamos hospedados em 2. A maioria dos hotéis lá são muito MUITO baratos em comparação com o resto da Europa.  As três opções são incríveis, depende do tipo de viagem e da quantidade de dinheiro que você está disposto a gastar. 🙂

Spelunca Cave Suites: diária a partir de R$ 133.00.

Capadocia Cave Land: diária a partir de R$ 296,00.

CCR Hotels & Spa: diária a partir de R$ 550,00.

Lugar incrível, né? Um dos mais lindos que já vi na vida, super romântico e exótico!

Quer ter uma experiência exclusiva e um roteiro personalizado? Clique aqui e entre em contato com a gente!

 

Renata Schaitza

Renata Schaitza

Renata tem 25 anos, é curitibana, formada em Publicidade e Propaganda e pós-graduada em Marketing Digital. Tem profissionalizante em Fotografia, e trabalha com conteúdo para mídias digitais desde 2014. É apaixonada por viagens e vida saudável, então uniu sua formação a essa vontade de conhecer o mundo e criou o Feed Your Soul, um blog sobre viagens e bem-estar. Acha que o tour gastronômico é indispensável, e depois que decidiu virar vegetariana ficou ainda mais interessante explorar lugares para encontrar as melhores opções. Gosta de compartilhar seu estilo de vida, para inspirar pessoas e mostrar lugares que precisam ser conhecidos.

Mais publicações de Renata Schaitza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *